a mensagem na garrafa

No fim tudo foi meu.

Todos os sentimentos, todas as verdades e os espinhos. Todas as dores e os doces. Todas as cachoeiras e riachos.

Estar aqui, no meio dessa bigórnica baderna é nada mais do que tudo o que eu queria.

As verdades transitórias, as amizades efêmeras, as libélulas e as árvores da vida são apenas a minha interpretação de como as coisas deveriam ser.

Perplexa, eu sento e observo todos desperdiçarem conhecimento, saliva e sinapses com pequenas constatações mesquinhas. Vejo vasos quebrados, vejo sorrisos lotados de fel, vejo almas em desespero por ordem, vejo vidas lotadas de pequenez. Vejo falsas grandezas, falsas conquistas e falsos sentimentos.

Eu vejo tanta coisa, e achar que vejo tanto é tão pretensioso quanto dizer que não vejo nada. Então, alimento-me da pretensão e da perplexidade.

Os sentimentos fracos crescem, e eu os cumprimento com carinho. Serão sempre bem vindos, afinal, são parte da grande roda.

Sem eles, os outros não seriam tão fortes e grandes.

Precisamos apenas prestar atenção nas ondas, e não na garrafa.

Este texto foi motivado por mesquinharias, falsidades e a pequenez de algumas pessoas. Eu as amo por isso, por me lembrarem que eu não sou assim.

Anúncios

~ por Mari em 13 de outubro de 2008.

2 Respostas to “a mensagem na garrafa”

  1. medo!

  2. e medo por que?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: